Saltar para o corpo principal da página

Site oficial da liga moçambicana de futebol

2021-01-27

Estádio da Machava

O dia 30 de Junho de 1968 constitui um dos marcos mais importantes da já longa e brilhante história da família dos ferroportuários de Moçambique.

Foi naquela data que com pompa e circunstância o Clube Ferroviário de Moçambique (hoje Clube Ferroviário de Maputo) pulverizou a sua grandeza institucional e a hegemonia desportiva, que na época já detinha, com a inauguração do seu estádio de futebol baptizado com o apelido do então chefe do governo português, António de Oliveira Salazar.

As selecções nacionais de futebol de Portugal e do Brasil, embora desprovidas das suas duas mais cintilantes estrelas, Eusébio e Pelé, foram as que protagonizaram o capítulo mais importante da cerimónia da inauguração do Estádio Salazar que também contou com outras manifestações de índole cultural e desportiva. Com golos de Jair e Rivelino, o conjunto canarinho tornou-se na primeira equipa a triunfar no Estádio da Machava.

LOCALIZACÃO E CAPACIDADE

O Estádio da Machava é um estádio multiuso, usado principalmente para a prática do futebol, situado no Bairro da Machava, Município da Matola, Província de Maputo. Tem uma capacidade de 45.000 espectadores e é propriedade do Clube Ferroviário de Maputo.

A SUA HISTÓRIA

O processo de construção da Estádio Machava começa com a publicação da Portaria Nº 15427, no Boletim Oficial N.O 45 - I Série, a 11 de Novembro de 1961, a qual concedia ao Clube Ferroviário de Moçambique um terreno no vale de Infulene na área da Machava, com uma área de 31 hectares a fim de ali ser construído o seu estádio de futebol. Era o princípio da concretização de uma das mais sublimes aspirações dos ferroviários de Moçambique. As obras do mítico estádio foram iniciadas em Junho de 1963.

SOUSA DIAS, O HOMEM DO ESTÁDIO! - Muitas foram as figuras que, de uma forma ou de outra, directa ou indirectamente, contribuíram para que se tornasse uma realidade o Estádio. Naturalmente, entre todos os ligados ao processo, surge de pronto o nome do Eng. Albano Augusto de Sousa Dias, o "homem do estádio", aquele que tornou o sonho realidade, mercê de um esforço gigantesco e de uma tenacidade de ferro. Albano De Sousa Dias, que foi presidente do CFVM, faleceria 27 dias após a inauguração do estádio - a sua obra.

INDEPENDÊNCIA NACIONAL - Foi neste recinto que se realizaram as cerimónias da Independência de Moçambique no dia 25 de Junho de 1975, tendo este recebido o nome de Estádio da Machava. Funcionou como o estádio nacional de Moçambique até à inauguração, em Abril de 2011, do Estádio do Zimpeto.