Saltar para o corpo principal da página

Site oficial da liga moçambicana de futebol

2018-10-29

UD DE SONGO É CAMPEÃ NACIONAL 2018

A União Desportiva de Songo revalidou, domingo último, 28 de Outubro, em Quelimane, o título de campeã nacional de futebol, ao conquistar o Moçambola-2018. Alcança um feito inédito na sua própria história.

UD DE SONGO É CAMPEÃ NACIONAL 2018

Um empate a um golo, diante do 1º De Maio de Quelimane, bastou para que os hidroelétricos completassem mais um ciclo histórico da sua existência, ao conquistarem o inédito bi-campeonato nacional de futebol. Um feito conseguido, refira-se, à uma jornada do término da edição do ano 2018 do Moçambola.

Para a jornada 29, a penúltima da época, à UD do Songo bastava um empate para a reconquista. Do contrário, o triunfo final seria em função do resultado que o segundo classificado, o Ferroviário de Maputo, teria de alcançar no Chiveve.

Mas não foi preciso muito para se idealizar o fim do dia. Em toda a regra festivo para o Songo. Logo aos três minutos, no jogo do Caldeirão do Chiveve, o Ferroviário de Beira abriu as hostilidades contra o seu homónimo de Maputo, por intermédio de Andro, fazendo o 1 a 0 que a partir deste instante tornava a UD do Songo campeã nacional, independentemente do seu resultado final.

Vai daí que, três minutos após esse registo no Chiveve, ou seja, aos 5 no campo do Ferroviário de Quelimane, o golo do 1º De Maio de Quelimane, por intermédio de Dudu, teve um efeito nulo para as contas do título.

E sem mais notícias foi-se ao intervalo nos dois campos. O Ferroviário de Beira a vencer em casa, por 1 a 0, ao Ferroviário de Maputo e a UD do Songo em desvantagem, pelo mesmo resultado, na sua deslocação ao terreno do 1º De Maio de Quelimane, todavia com a conquista do título garantida até ao momento.

Songo teve vida facilitada no segundo período

Se no primeiro tempo a UD do Songo não precisou de se aplicar tanto para ter o título nas suas mãos, na segunda tão pouco, pese embora não tenha cruzado os braços no arranque do último quarto de hora.

É que passados 59 minutos na partida do Chiveve, João anotou o 2 a 0 para a equipa da casa, num golo de...”muito” belíssimo efeito. Um tento bastante festejado nas cidades da Beira e de Quelimane, bem como na vila de Songo.

Porque a festa de Songo não podia contar somente com o alto patrocínio do Ferroviário de Beira, Mário Sinamunda esperou até o minuto 76 para, em representação do seu clube, depositar a contribuição dos hidroeléctricos na anunciada celebração. Anotou o golo do empate em Quelimane.

Antes mesmo da oficialização dos festejos, com o apito final do árbitro em Quelimane e com o 1 a 1 a prevalecer, o Ferroviário de Beira foi ainda a tempo de colocar em 3 a 0 o resultado final, tendo o último tendo sido marcado por Nelito.

E assim foi a data, o momento e a jornada históricas que marcará para sempre a história da UD do Songo, ao conquistar o bicampeonato nacional de futebol.

Fotos por: UD do Songo e António Zefanias